terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Evitando a força elástica e intensificando seu treino


Algumas pessoas possuem um sério problema quando treinam: utilizam-se tanto da força elástica que transformam seus movimentos em verdadeiros pêndulos.
É uma forma de roubar e ajudar no movimento quando a carga está alta. Não está errado, obviamente, desde que não seja feito com tanta frequência e com critérios. Mas não é isso que vejo nas academias.

A rosca direta pode ser um exemplo, clássico, da ajuda do componente elástico no acúmulo de energia, provocado pelo movimento massa X velocidade. E é aqui que o pêndulo se destaca.

Outro exemplo clássico da Lei de Hooke é o supino reto. Como a própria lei sugere uma constante elástica, temos a impressão que o praticante do supino, com essa característica de execução, possui uma mola no peito.

O speed squat (agachamento feito com velocidade acima do convencional) também é outro exemplo da força elástica.

Mas isso pode ser aplicado a qualquer exercício. Muitas vezes, utilizar-se dessa técnica não é produtivo e devemos evitá-la sempre que pudermos.

Então, dito isso, vou sugerir 2 maneiras de se acabar com a roubadinha elástica:

1) Faça pausas ao completar uma repetição. Na rosca direta, quando completar 1 repetição, ou seja, quando a barra estiver em sua posição mais baixa, espere 1 ou 2 segundos antes de subir. Isso fará com que a repetição seja primariamente igual ao início do treino, sempre.

2) Faça exercícios unilaterais alternados. Sempre que você alterna a execução do movimento entre seus braços/ombros ou quadríceps/pernas, você evita que a força elástica entre em ação, por que um de seus membros permanece parado enquanto o outro está em movimento.

Stay strong!

Betão

Nenhum comentário:

Postar um comentário