sexta-feira, 4 de março de 2016

Um vício chamado gym


Ninguém me avisou que eu poderia virar dependente de ti. Que iria te desejar todos os dias da minha vida, com todas as minhas forças.

Quando fomos apresentados, tu não me pareceu perigosa. Sedutora, sim. Mas perigosa, não. Achei até formal demais, fria diria, com um toque de sarcasmo. Nunca achei que iríamos nos aproximar. Você me pareceu distante e indiferente. Senti que era apenas mais um no seu caminho. 

Mas o envolvimento foi aumentando com o passar do tempo, apesar de você nunca ter demonstrado nenhum tipo de carinho por mim. Houve dias em que achei que você não queria que eu voltasse. Houve dias em que eu não quis voltar.

Mas, então, algo aconteceu. Senti sua falta quando não nos encontramos. Um vazio percorreu meu corpo e naquele dia em que não nos vimos algo mudou. Meu semblante ficou apreensivo, respiração dificultosa e tive vontade de correr pra você. A ciência explicou com a palavra "abstinência" mas o coração ainda não havia entendido. Eu sabia que você estava no mesmo lugar de sempre. Bastava que eu fosse ao seu encontro.

Então fui. Cambaleando, com medo de você não me querer mais. A cada passo, o peito apertava. Então, eu a vi de novo. E você era exatamente como no primeiro dia, onde meus pensamentos se perderam...

Não sei explicar a vida sem você, sem sua indiferença que me domina. Sei que deu sentido aonde não havia sentido e mostrou um caminho em meio a tantas bifurcações. Do seu jeito, me mostrou o mundo novo que eu poderia desbravar.

E mesmo que não me espere, queira ou me ame, estarei indo até você sempre, como um soldado que caminha pra morte, conscientemente. És o bálsamo venenoso que me mata dia após dia, lentamente. Caminho para o açoite dos seus braços sabendo que irás me ferir, dia-a-dia, com sua frieza, incompreensão e então subestimo meus sentimentos em prol de um vício que me tortura.

E ainda que eu sinta a carne sangrar és tu que quero. 

Stay strong !

Betão

Nenhum comentário:

Postar um comentário