quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Eu Vou, Você Vai (I Go, You Go)

O grande Arnold Schwarzenegger fazia algumas coisas de maneira errada. Por exemplo: ele executava intermináveis séries de extensão para perna, achando que dessa maneira aumentaria a definição. Roubava na rosca direta. Fazia abdominais no final dos treinos para melhorar a qualidade da cintura. Às vezes prolongava seus treinos por mais de 2 horas seguidas, e até fazia isso mais duas vezes por dia, ou seja, 4 horas de treino!

Hoje sabemos o quanto improdutivo pode ser um trabalho assim, não sabemos? Arnold não tinha idéia do que fazia naquela época não é mesmo? Oooops ! Um momento... Mas que droga que estou escrevendo aqui?

Schwarzenegger tinha o melhor físico de sua época, e até hoje, muita gente não consegue chegar nos seus patamares, isso com todas as novas metodologias de treino e uso de suplementação, inexistentes na época, e antes que mencionem a palavra "esteróides", de lá pra cá isso também não mudou muito. Aliás, se compararmos a estrutura dele com de alguns fisiculturistas campeões dos dias de hoje, com seus estômagos dilatados, Arnold ainda pode ficar a frente de muitos.

Nos dias de hoje, os atletas tem a seu lado uma série de recursos, diversos estudos feitos em faculdades, milhares de teorias de treino elaboradas por teóricos (é, uns mal chegam a 35 de braço, e nunca fizeram um agachamento na vida, mas isso é outra história...), análises científicas feitas em faculdades, uso de ressonâncias magnéticas, enfim, várias ferramentas a disposição. Arnold não tinha. Ele seguia seus instintos mais do que a razão.

E mais, se não saía do treino todo dolorido, sem problema, mudava a série, o exercício, a intensidade, até que saísse com dor. Ah, e hoje? Levantamento Terra? Remada? Agachamento? Não, nada disso. Os freqüentadores das academias não fazem porque ou dói o joelho ou dói as costas.

Em sua "Encyclopaedia of Modern Bodybuilding", já editada no Brasil, ele indica vários métodos de treino, todos visando estimular nosso corpo a crescer, mas infelizmente desacreditados pelos inteligentíssimos instrutores das academias de hoje.

Bom, que tal então darmos uma checada nos métodos "errados" de treino do homem? Aí vai um deles .... 


Eu Vou, Você Vai (I Go, You Go)

Monta-se a barra W com um peso em que você consiga executar algo entre 10 e 12 repetições. Após executar a primeira série, a barra é imediatamente passada ao parceiro de treino, que deve tentar, ou fazer mais repetições que você, ou empatar. Aí é ele que passa a barra para você. A brincadeira segue até que vocês só consigam executar uma repetição. A barra nunca descansa, seja em algum apoio, banco ou no chão. É de parceiro para parceiro, sem parar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário