quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Coloque o crucifixo no cross em sua rotina

Com o uso de cabo (cross over), o maior braço de momento de todo o movimento é na metade do caminho, entre a posição inicial e a final. Neste ponto, a linha de ação do cabo fica perpendicular à mão do executante.

O componente translatório da força realizada pelo peitoral maior ajuda na estabilização do ombro, durante toda a amplitude do movimento.

O uso de cabo cobre a deficiência (de amplitude) do supino com barra, por favorecer aproximadamente 90° de amplitude articular contra aproximadamente 45° com a barra.
 
Com o uso de cabo, o executante pode ficar na posição horizontal e somente alterar a posição do ombro no sentido da flexão ou da extensão, para trabalhar as porções superior e inferior do peitoral maior, respectivamente.

O cotovelo deve sempre ficar semiflexionado, para evitar lesões nesta articulação. Se o cotovelo permanece estendido, o foco das forças contrárias (o cabo puxando o rádio e a ulna, no sentido da resistência, e o peitoral puxando o úmero, no sentido do esterno) passa a ser esta articulação.

O prévio fortalecimento dos músculos do manguito rotador (supraespinhal, infra-espinhal, redondo menor e subescapular) é necessário, para diminuir os riscos de lesão do ombro neste exercício.

Nenhum comentário:

Postar um comentário