terça-feira, 28 de junho de 2011

STRONGMAN - PASSO A PASSO - VIKING POWER!!!

Rotina de Svend Karlsen

Svend Karlsen nasceu na Noruega no dia 6 de outubro de 1967. Participou de vários campeonatos de halterofilismo e fisiculturismo antes de migrar para competições de força. Com 1,88m e pesando 135kg, foi vice-campeão do WSM em 2000 e campeão 2001. Além disso, ficou em segundo lugar na competição de força que existe no Arnold Classic em 2002 e em 2003, e participou de inúmeras provas que existem na Europa (Noruega Strongest Man, Clash Of The Giants, X-Treme Strongest Challenge, entre outras). Ficou extremamente conhecido por seu grito de guerra “Viking Power !”. 



Aposentou-se dos campeonatos de força em 2006. Desde 2007 que colabora com o evento, entrevistando os atletas e explicando as provas. Recentemente, passou por uma operação de transplante de rim (sei o que você está pensando sobre isso ... sei que você já está imaginando a causa, o efeito, a conseqüência, etc). Svend, com seus olhos vidrados, sempre mostrou muita empolgação nos eventos, sendo por isso muito querido pelo público.

A rotina
Svend sempre se destacou no esporte e, em especial, nas competições de força européias. Mas ainda faltava algo. Algo que o faria campeão. Ele sabia que deveria treinar de forma diferente do que já estava acostumado para que conseguisse subir no podium de uma competição tão importante quanto o WSM. Afinal, era fisiculturista e até fez algumas fotos como modelo. Por ser um auto-didata, estudou as rotinas dos antigos campeões (Jouko Aloha, Jón Páll Sigmarsson, Bill Kazmaier, entre outros) e fez algumas adaptações ao seu estilo. Além disso, gosta de “batizar” essas pequenas adaptações com seu sobrenome (Karlsen Squat, Karlsen Crucifix Fly, etc). Nosso atleta norueguês tem um ciclo de treino de 8 dias. No 9º dia, volta para a rotina do primeiro e assim por diante.

Abaixo, o verdadeiro treino que fez Svend campeão do WSM em 2001. Como todo bom atleta, Svend gosta de acordar cedo para iniciar sua rotina. Possui uma parafernália em sua casa digna de uma academia de STRONGMAN. Realiza uma série de alongamentos, onde chega a utilizar até máquinas de pilates. Segundo ele, o alongamento é uma linha tênue entre o “estar apto a treinar” e a lesão. Sempre leva seus treinos ao extremo, fazendo repetições forçadas, parciais e negativas. É um atleta completo mas que, infelizmente, devido ás extravagâncias cometidas nos treinos, acabou tendo que se aposentar prematuramente do WSM.

Ainda podemos vê-lo como convidado especial em eventos do gênero e alguns até arriscam um retorno do campeão.

Dia 1
Rosca Direta – 2-3 series, 6-12 reps (carga máxima)
Tire Flip (tombamento de pneu) – 3 sets, 8-10 reps (pneu de aprox. 240kg)
Atlas Stones – 3 x 5 (distância de aproximadamente 3 metros, com pedras de 100kg)
Supino fechado para tríceps – 1x4-6, 1 x 10-14 (carga máxima)
Tríceps Testa – 2 x 8-12 (carga máxima)
Extensão de Tríceps na Polia alta – 2 x 8-12 (carga máxima)
Abdominais com peso – 3 x 12 (variação no solo, prancha, com arco, etc)

Dia 2
Agachamento Frontal – 2 x 4-6 (carga máxima)
Karlsen Squat – agachamento com peso acima da cabeça (com implemento utilizado no Overhead Lift) – 3 x 8-12 (160kg)
Cadeira Extensora – 3 x 12-20 (pirâmide)
Flexão Plantar em pé – 3 séries até a exaustão (carga máxima)
Concept 2 Rower (tipo de remo seco) – 3x500 metros




Dia 3
Andar ou nadar durante uma hora. Vale a pena fazer uma observação aqui. Svend mora na Noruega, país europeu gelado, e durante uma época do ano, neva. Nosso atleta corre assim mesmo. E é na própria neve. Imagine a dificuldade que é correr em areia fofa. Agora imagine correr na neve. Nosso atleta corre/anda em uma velocidade que equivaleria, na esteira ergométrica, a aproximadamente 5km/h nessas condições climáticas não muito favoráveis, sempre alternando terrenos planos e irregulares. Ah ! E não. Ele não nada em lagos gelados.

Dia 4
Apollon Axle – 3 x 1 (carga máxima, cerca de 170kg)
Apollon Axle (Drop-set) – 1 x 6-10-12 (diminuindo os pesos)
Karlsen Crucifix Fly* – 2 x 3-8 + isometria de 8 segundos 3 x (última repetição)
Remada Alta – 2 x 8-12 (pirâmide)
Supino Inclinado com implemento – 1 x 3-6, 1 x 12 (cerca de 140kg)
Crossover – 3 x 8-12 (como Svend explica, apenas “pra relaxar”)

* O Karlsen Crucifix Fly nada mais é que um crucifixo feito acima da cabeça, sentado, com as palmas da mão viradas pra cima, fazendo-se a adução dos braços. Nosso querido atleta implementou uma isotensão no final do movimento e acabou colocando seu sobrenome no exercício.

Dia 5
Levantamento Terra – 2 x 3-6 (carga máxima)
Remada baixa – 3 x 8-12 (pirâmide)
Puxador pela frente – 3 x 8-12 (pirâmide)
Encolhimento de ombros com barra – 3 x 12 (carga máxima)
Elevação lateral curvado – 3x8-12 (pirâmide)

Dia 6
Caminhar 1 hora. Neste dia, Svend também costuma alternar o treino pulando corda ou subindo e descendo escada. Além disso, faz também um tipo de trilha nas montanhas da Noruega. Resistência e condicionamento físico são cruciais no WSM.

Dia 7 (específico para o WSM)
Yoke Race – 3x25m (365kg)
Farmer Walk – 2 x 35m (ida e volta)
Conan’s Wheel – 2 x 3 voltas aumentando o peso (chegando a 300kg)
Truck Pull Training – 3 x 50m (cerca de 5 toneladas)
Barrel Loading – 3 sets de 5-10 metros com 5 barris, cronometrando o tempo. Cada barril com cerca de 100kg.

Além desses, no sétimo dia, Svend escolhe alguma prova que ele considere um ponto fraco ou, então, que faça parte de algum evento específico. Costuma fazer um exercício parecido com as Colunas de Hércules, só que no lugar dos pilares, ele segura um halter em cada mão, isometricamente, com os braços paralelos ao solo. Os ombros são extremamente solicitados neste tipo de exercício.

Como todo bom norueguês, o atleta também gosta de reviver os feitos dos vikings do passado e, muitas vezes, realiza o exercício com 2 espadas antigas. Aliás, essa é uma prova realizada no leste europeu, onde o competidor tem que segurar uma espada pesadíssima com as duas mãos, paralela ao solo, no maior tempo possível. Outro exercício muito praticado por Svend é levantar e/ou puxar seu Hummer H3 em terrenos acidentados, assim como puxá-lo com correntes presas ao corpo. Ficou famoso por essa prática e acabou sendo imitado por diversos outros competidores, inclusive, por alguns organizadores de eventos de força que implementaram o “Terra com pneus de Hummer”. Com certeza, um figuraço formador de opiniões.



Dia 8
Massagem e sauna. Este dia também é dedicado a recuperação de lesões. Além disso, é também colocado em prática as dicas para manter as mãos sempre saudáveis (ver artigo de Antebraços)

Essa foi a rotina seguida por Svend para se tornar campeão, um programa de treino adaptado, inclusive, às condições climáticas da Noruega. Podemos concluir que, apesar das demonstrações públicas de entusiasmo e empolgação, que ele sempre foi um cara centrado e muito determinado em seus objetivos.

Tomo aqui a liberdade de dizer que Svend Karlsen é o Branch Warren do WSM : treinos insanos, levados de uma maneira empolgante ao olhos de quem assiste, hardcore ao extremo, sempre com muita explosão. Quem tiver o prazer de assistir um treino do norueguês, com certeza, ao término da transmissão, já estará na academia pondo em prática não somente as técnicas assistidas mas também se lembrará dos gritos, da determinação, das frases de desafio e da verdadeira guerra que ele trava contra os pesos.

Se um dia você for até a Noruega e tiver a oportunidade de ficar em silêncio perto de alguma montanha, com certeza ouvirá um grito vindo do fundo da alma e esse grito estará ecoando por toda a Europa : “Viking Power !”



No próximo artigo, iremos explorar mais uma rotina de treino de um campeão. Um atleta que tirou a imagem do esteriótipo dos competidores de STRONGMAN, sempre vistos bem acima do peso, com percentual de gordura relativamente alto. Um competidor com aparência de fisiculturista e força de um powerlifter. Senhores, sejam bem-vindos a era Mariusz Pudzianowski.

Stay strong !

Betão Marcatto

Nenhum comentário:

Postar um comentário