sábado, 28 de maio de 2011

Começando a dieta do guerreiro – parte I


Anos e anos de treino. Comendo de tudo, treinando pesado. Certo dia acordei, olhei no espelho e percebi que não estava forte. Estava obeso ... 147kg, 55,5cm de braço ... mas obeso ... e agora ? O que fazer ?

147kg e obeso
Dieta, oras ...

Não seria algo fácil, afinal de contas, estava acostumado a andar pra lá e pra cá com 147kg, todo mundo me olhando e meus 55cm de braço ... totalmente roliços. Custei a chegar nesse peso, comprometendo, por diversas vezes, minha saúde e teria que me acostumar a pesar menos e o pior da história : todo mundo me dizendo que estava “mais magro”, perguntando se havia parado de treinar, etc. Isso abalaria o psicológico, com certeza, e seria esse o ponto crucial a trabalhar.

A primeira coisa foi ligar o botão “Fuck Off” pra todo mundo. Mas como se faz isso?  Como não se incomodar com o que os outros dizem ? Como aceitar uma crítica maldosa sem se abalar ?
Foco e objetivo. O objetivo seria emagrecer ? Ótimo, então todos os meus pensamentos seriam em prol disso. Tracei a meta, fui à luta. Um quilo perdido e estaria mais próximo do meu objetivo. Essa foi a linha de raciocínio seguida. Tive que aceitar a nova condição : emagrecer e não mais crescer de forma descontrolada. Era fácil demais dizer a todos que estava em off e por isso minha barriga se parecia com um barril. Mentalmente preparado para ouvir comentários depreciativos a meu respeito, eu estava pronto para começar a estudar a Dieta do Guerreiro.
E aqui vai um adendo. Não adianta começar nada sem embasamento teórico, sem conhecer a proposta do autor. Uma casa não pode ser erguida a partir do telhado. Primeiro, alicerça-se a estrutura com muita teoria, muita pesquisa e só depois, então, passa-se para a prática. Dúvidas irão surgir ... algumas adaptações devem ser feitas ... o importante, mais uma vez, é estudar a proposta.

Os alimentos

Não sei ser razoável com as minhas decisões. Em tudo na minha vida, nunca fiquei indeciso ou fiz pela metade. É oito ou oitenta ... e oitenta mil!!! Acho que consigo mais resultados sendo radical mesmo. Treinar até o limite ... fazer a dieta até o limite. Selecionei cuidadosamente os alimentos que iria ingerir :
Arroz integral
Batata-doce ou batata-ingesa
Queijo cottage
Frango
Atum
Ovos
Água
Nada de dia do lixo, por enquanto ... a gente não é o que come ??? Então, porque eu comeria lixo??? Nada de fast-food, pizza, doces, refrigerantes ou suco de “saquinho”.
Aqui, posso dizer, com certeza, entrou um fator importantíssimo : garra ! Imagine-se em um Shopping, onde a maior parte das pessoas está obesa (pode observar isso, pimpolho), comendo lanches gordurosos, suculentos ... e eu comendo em um self-service, escolhendo os pedaços mais “gostosos” do frango, sem colocar nenhum tipo de condimento e pedindo uma água gelada. Com todo o respeito e, já pedindo licença ... PQP !!! É de matar, cara !!!! Se você não estiver preparado pra isso, com certeza vai parar no primeiro Mc Donald´s e se empaturrar com um “Nº1” e repetir a dose. Lembre-se : eu estava com 147kg, comendo feito um leitão ...  e achando “mó legal, mano”.

Segundo a dieta do guerreiro de Ori, eu deveria ficar 20 horas em jejum. O receio de perder massa muscular logo veio à mente. Nunca havia me imaginado ficar tanto tempo sem comer. Pior, deixava de fazer qualquer coisa quando a hora de se alimentar se aproximava. Mas esse era o princípio, certo ? Jejum ? Então, era isso o que eu faria. Atitude !!!
Mesmo sabendo que essa perda de massa muscular não aconteceria, tive alguns cuidados para minimizar qualquer tipo de atitude negativa ou que me fizesse pensar em desistir :
(1) Ingeri vitamina C (500mg) a cada 2 horas
(2) Ingeri 5g de glutamina a cada 3 horas
(3) Muita água
(4) Café, sem açúcar, ao acordar e antes de treinar
(5) Se sentir muita fome na hora do almoço, 2 colheres de queijo cottage
Bom, só pra vocês terem uma idéia, acordo as 5:10h da manhã e vou dormir 23:30h (aproximadamente, variando aí, sempre, uns 20 minutos, tanto pra mais quanto pra menos).
Começou, então, uma guerra contra a balança e contra o espelho. O tio Betão sairia da condição que estava e se tornaria mais apresentável, tanto para seus alunos quanto para a galera que apostava que ele não conseguiria.
E aqui faço outro adendo. A quantidade de pessoas que adoravam me criticar estão quietinhas nesse momento, enclausuradas em seu pequeno mundinho vil e sujo, enquanto, a cada dia, estou melhorando minha qualidade muscular, minha qualidade de vida ... desintegrando a gordura e construindo músculos. E não sou fisiculturista competitivo, não. Sou um cara comum, normal, que quer reduzir a gordura corporal e aumentar a massa magra. Simples assim.
Pra vocês, queridos invejosos, um grande de um “CHUPA QUE É DE UVA, BASTARDOS INÚTEIS. AO INVÉS DE ME ACOMPANHAR DIARIAMENTE NO MEU ORKUT, VÃO TREINAR QUE VOCÊS ESTÃO PRECISANDO, CAMBADA DE FRUSTRADOS”. Pronto, falei.

6 meses de dieta ... 130kg
A dieta
Como vocês perceberam, a dieta preconiza que eu deva ficar sem comer durante uma boa parte do dia. Esse período, chamado de undereating pelo autor do livro, Ori Hofmekler, deve ser de 20 horas. Uma rápida conta de matemática e a dieta ficou assim configurada :
6:00h : 500mg de vitamina C, 5g de glutamina em 500ml de água, 100ml de café sem açúcar
8:00h : 500mg de vitamina C
9:00h : 5g de glutamina em 500ml de água
10:00h : 500mg de vitamina C
12:00h : 500mg de vitamina C, 5g de glutamina em 500ml de água
14:00h : INÍCIO DO TREINO
15:00H : FIM DO TREINO
16:00h : 500mg de vitamina C, 5g de glutamina em 500ml de água
20:00h : começa a comilança ... sem muita frescura, sem contar calorias. Mas apenas os alimentos que selecionei. Se sentir fome, comida pra dentro. Não importa se é de 1 em 1 hora ou se será apenas uma refeição. Liberdade é a palavra de ordem. Paro de comer por volta das 23:30h.

E a transformação começou
No primeiro dia da dieta, meu estômago parecia que queria subir pela boca e procurar comida. Estava acostumado a comer por volta de 6000kcal/dia. Acordei e só tomei café puro com uns comprimidos. Por volta das 8 da manhã, tive surtos de ataque de fome e sintomas de hipoglicemia (sudorese, tremedeira). Todos os odores que sentia me lembravam comida : fui colocar silicone spray em uma das esteiras e fiquei com fome por causa do cheiro, que me pareceu cheiro de esfiha (foi isso mesmo ... absurdo!!!). O cheiro da graxa das máquinas estava me deixando com um apetite voraz. Tudo me lembrava comida. Como agüentar algo assim? Mais uma vez : atitude!!!
Lembrava de como deixaria as pessoas assustadas com o novo shape (não posso negar que isso foi um grande estímulo, poder calar a boca de vários “amigos”), mas a principal motivação seria ficar mais parecido com alguém que treina de verdade. Meu visual, pra mim (e usava isso como desculpa), era fruto de anos como powerlifter (Regional, claro, sem muita expressão a nível estadual. Era conhecido somente em Guarulhos-SP) e não precisava de baixo bf. Mas era só uma desculpa esfarrapada para poder comer o que eu quisesse.
Primeiro dia de treino em jejum foi horroroso. Não havia forças pra levantar cargas que já estava acostumado a levantar. A frase “Pare com essa loucura” insistia em aparecer várias vezes durante o dia, na minha cabeça. O que eu estava fazendo???
Mas, à medida que os dias foram passando, a disposição para treinar foi aumentando. Incrivelmente, a força passou a aumentar também. E esse aumento de força era inversamente proporcional à diminuição da circunferência abdominal. Lembro-me que todos passaram a comentar “Como sua cintura afinou”, “Agora, sim, hein, Betão”. Auto-estima passou a comandar e a estimular minhas ações quando meu corpo estremecia diante do período em jejum. 

147kg (2009) X 125kg (2011)

Nada ... eu escrevi nada, iria me deter agora !!! Dei o primeiro passo ... a transformação havia começado ...

... continua em um próximo post ...

11 comentários:

  1. po, massa pra caralho, no aguardo da próxima parte

    ResponderExcluir
  2. Parabens Betão , nossa que força de vontade ein, determinação , eu tambem tenho uma historia parecida , cheguei aos 102 kilos ( com um bf alto pakkas ) e me deparei com o pesadelo de não estar forte, mas sim gordo , o psicológico vai a mil nessas horas, de qualquer forma parabens novamente pelo relato

    ResponderExcluir
  3. Caraca Betão... Lembro do Arnold comentando, não sei se foi na enciclopédia, em que ele estava giga e perdeu para alguém menor, momento em que decidiu que teria que perder peso para ficar com um melhor shape, comentando inclusive que o psicológico contaria muito, pois ver suas camisas ficando folgadas e pessoas comentando, principalmente para quem quer ser "monstro", é uma coisa horrível e abala o cara, mas quem consegue chega longe!!

    Boa Betão! Sempre vá atrás dos seus objetivos sem se preocupar muito. E depois passa mais sobre essa dieta (Nome do livro ou então onde encontrar algum artigo).

    Abrazzos do Chester :D

    ResponderExcluir
  4. Um tamanho grande e fenomenal, mas com um coração que não tem limites e não se pode ser medido, assim é você, tio Betão!
    Sempre acompanho as suas postagens no blog.
    Tá muito bom, mesmo, de coração.

    ResponderExcluir
  5. Parabénssssssssss pela determinação em não deixar nada entre você e a sua meta!!!

    ResponderExcluir
  6. betão blz
    quero saber se vc tem a tradução do livro a Dieta do Guerreiro, pois quero conhecer dieta na integra.
    parabéns pela dedicação e conquista.Se puder me ajudar.
    Desde já fico grato.
    abraço
    Email- Merksantos@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Muito BOm.... vou começar fazer a minha segunda feira

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir