segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Do melhor ao pior cardio

Realizar o cardio diário não é algo que os marombas curtam muito. A maioria de nós luta pra atravessar os 30 minutos em cima de uma esteira. Geralmente, usamos um mp3 pra suportar os minutos que insistem em se arrastar lentamente.

Mas podemos gastar menos tempo e queimar mais calorias se escolhermos o aeróbio certo. Você pode escolher o aeróbio com base na eficácia (mais calorias queimadas no mais curto espaço de tempo), funcionalidade (como direcionar para suas atividades diárias) e disponibilidade (probabilidade de sua gym possuir o equipamento).

1) Esteira

A esteira será sempre a melhor aposta. Ao contrário de alguns equipamentos de cardio, o tapete rolante permite que você mova-se de maneira ergonômica. Super fácil de usar, ajuste fácil de velocidades e com botão de parada.

2) Simulador de escada
O que pode ser mais funcional que andar em uma escada interminável? Não apóie seu corpo nas alças e terá um trabalho mais intenso. O problema é que é um aparelho caro e não é toda gym que possui uma.

3) Máquina de remo

Nem toda academia tem uma máquina de remo , mas esta é uma das maneiras mais eficazes de fazer cardio. Move seu corpo inteiro , com grandes amplitudes de movimento que podem ser dificultosos como o inferno. O maior problema para esta máquina é que a má técnica pode limitar sua eficácia. Chame seu profi e garanta que está fazendo do modo certo.

4) Elíptico
Natural e ineficaz. A configuração de resistência em um nível abaixo de 10 é quase tão eficaz na queima de calorias quanto você se sentar no sofá e assistir TV. O único benefício é que é uma opção de baixo impacto. Mas se você está limitado por alguma lesão, bicicleta ou natação é infinitamente mais eficaz que o elíptico.

5) Bike horizontal (ou reclinada)
Essa é a pior maneira de se fazer cardio. Seu corpo não faz quase nada, apenas suas pernas. A parte superior fica toda em repouso. Se você está procurando uma cadeira para sentar no enquanto você lê um livro ou recuperar o atraso em seus episódios favoritos da Netflix , esta é a sua cara.

REFERÊNCIAS
1.Zeni, A. I., Hoffman, M. D., & Clifford, P. S. (1996). Energy expenditure with indoor exercise machines. JAMA, 275(18), 1424-1427.
2.Moyna, N. M., Robertson, R. J., Meckes, C. L., Peoples, J. A., Millich, N. B., & Thompson, P. D. (2001). Intermodal comparison of energy expenditure at exercise intensities corresponding to the perceptual preference range. Medicine and Science in Sports and Exercise, 33(8), 1404-1410

2 comentários: