segunda-feira, 17 de agosto de 2015

A prática da musculação pode contribuir para o aparecimento ou o aumento de varizes ?


Professor, minha mãe tem varizes, ela pode treinar ????

E lá vai o professor tremer na base .... e agora, o que responder ? Será que pode ? Piora ? Melhora ? Vamos lá ... 

Varizes é o termo popularmente conhecido para se referir a um tipo de doença vascular periférica (DVP) caracterizada por uma insuficiência venosa crônica nos membros inferiores. Cossenza (1992) define varizes como uma “dilatação irregular e permanente do conduto venoso com divertículos unilaterais em fundos de saco”. Em outras palavras, varizes são irregularidades que ocorrem nas veias, mais especificamente em suas válvulas de controle de direcionamento do fluxo sanguineo, que dificultam o retorno do sangue ao coração, fazendo que o sangue acumule (refluxo) nos vasos, gerando microprotuberâncias, com possível ocorrência de rompimento ou necrose do tecido.

Esse tipo de doença ocorre, principalmente, em mulheres, sendo o sexo feminino um dos fatores predeterminantes para o seu desenvolvimento. Entretanto, outros fatores de risco podem, independentemente ou somados a esse, aumentar a probabilidade de sua ocorrência. Guedes Jr (2007) cita alguns desses fatores determinantes :

Fragilidade capilar e debilidade do sistema de válvulas;

Períodos prolongados de manutenção de posturas estáticas, como em pé ou sentado;

Influências hormonais durante a gravidez;

Abertura da comunicação arteriovenosa;

Excesso de peso e obesidade

Inatividade física ou sedentarismo

Sabe-se também que o avanço da idade, bem como a predominância de um estilo de vida que associe inatividade física, estresse emocional, fumo e alimentação inadequada, é acompanhado pelo aumento das doenças cardiovasculares (Silva e Nahas, 2002).

Os exercícios físicos mostram-se eficientes no combate a diversos desses fatores citados, sendo, portanto, favoráveis na prevenção e no tratamento das veias varicosas. A eficiência do exercício se dá pelo estímulo ao retorno venoso proporcionado pela contração do músculo esquelético, ou seja, a contração auxilia o retorno do sangue pela circulação adjacente À veia afetada (Guedes Jr, 2007).

As veias das panturrilhas, por exemplo, em associação com os tecidos circundantes, formam uma unidade funcional conhecida como bomba muscular ou coração periférico, atuando na drenagem do sangue venoso durante o exercício (França e Tavares, 2003). Em razão disso, o gastrocnêmio, músculo da panturrilha, é chamado por muitos de segundo coração.

Sacchi (2004) afirma que a atividade contrátil da panturrilha desempenha duas funções vitais durante o exercício : assegurar o retorno venoso dos membros inferiores e reduzir a pressão venosa superficial, eliminando o efeito prejudicial da pressão ortostática.

A musculação, portanto, parece ser uma atividade bastante favorável, em razão do estímulo proporcionado pelas contrações musculares que auxiliam o retorno venoso. No entanto, a utilização de cargas próximas da máxima tende a aumentar o componente isométrico e a ocorrência de bloqueio respiratório, situações que não são interessantes para pessoas com varizes (Guedes Jr, 2007; Cossenza, 1992)

Conclui-se, então, que a utilização de cargas moderadas parece ser a mais eficiente, sendo que a pessoa deve ser orientada a respirar continuamente durante a execução do exercício e, de preferência, utilizar a respiração passiva (expirar na fase concêntrica e inspirar na fase excêntrica).

As pessoas com varizes devem ser orientadas quanto à postura corporal durante as atividades laborativas e do cotidiano, evitando a manutenção de uma determinada postura durante períodos prolongados. A mesma estratégia deve ser adotada durante a execução dos exercícios, utilizando exercícios que diversifiquem as posturas em pé, sentado, deitado, etc (Guedes Jr, 2007; Cossenza, 1992)

Nenhum comentário:

Postar um comentário